terça-feira, 29 de dezembro de 2009

sucessão finita

nada digo:

o tempo assalta-me de pudor
e a minha voz, frágil chicote de vento, é ancoradouro das trevas.
(comentário de maré ao meu poema 'fugas')

arvora-se-me o tempo
pelo silêncio,
o gotejar da memória
corrói-me as têmporas;
liso é o resvalar dos murmúrios,
no soturno vazio
de cascatas,
feridas
na pudica sucessão das horas...

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

apenas... Feliz Natal, Senhor Jesus!

trilho


















No vago rosto da madrugada
precipitei o fosco riso
nascente,
roçando de alegria
o teu rir velado.
O Sol galgava
a manhã em trejeitos torpes,
quase se desculpando
pelos desencontros ocultos.
Sabíamos a mudez das noites,
dos ocasos que te agasalhavam
em xaile fofo, materno...
(...)
Ousaste novos trilhos;
sobra-me a certeza
da madrugada,
do Sol,
das noites,
dos meus ocasos...

(imagem retirada da net)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

caminho

a canção das águas
feriu os ouvidos
das manhãs pontiagudas;
sentiram o olhar,
penetrante até doer;
(...)
que caminho este 
tão longo,
tão adiado,
até ao esquecimento
da planície dos juncos sem-fim...

(inspirado num poema de marés
editado no seu blogue marés de espanto)





 
 
 
 
 
 
 
 

   (imagem retirada da net)

domingo, 20 de dezembro de 2009

in memoriam...



a Sir Winston S. Churchill

(...)
murmura-me a garganta,
o soluço prostra-me
na quietude do caos;
soçobra o marejar:
líquidos os olhos,
postos no poente,
no anoitecer lasso,
nas colunas do partir.

Minhas mãos fecham-me
na portinhola escura
de um negrume
acercando-se
(...)

(imagem retirada da net)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

cálice











mergulho o cálice da loucura
nas preces erectas do abismo;
nada se perdeu,
apenas o restolhar manso da vaza  

(imagem retirada da net)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

esperança














Um luto,
assim mesmo;
a tecitura, o branco,
e a claridade que desaloja já
as valas na fundura do estremecimento,
no entardecer das memórias, nas imagens soluçadas...

(inspirado em Graça Pires no seu
(imagem retirada da net)

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

passeio em torno das imagens:
das metáforas,
das comparações;

há esculturas,
sobretudo ex-culturas

trem

passou a vida,
abandonei-a como a um trem,
procurei passos familiares,
boca que te nomeasse,
apenas o trem dava novas,
ao longe, no anoitecer;
fiz-me caminho,
travessa, atalho, rua;
era só o destino da disjunção,
da procura empatada;


(então,
em conluio,
em conspiração alla Sforzza
o tempo fechou-se,
em jeito de promessa,
de riso extraviado...)

(inspirado por moriana
no seu blogue)

(imagem retirada da net)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

fugas


Voltei-me na esquiva do vento:
talvez fosse o fragor,
o galgar das trevas.
Assim,
duas,
talvez três
palavras:
(sós)
caminho-poente-
[-fuga...]

(imagem retirada da net: "Fuga", V. Kandinsky)