sábado, 28 de novembro de 2015

afastando-se

Despego-me de alguns,
daqueles que me perderam;
as amarras,
os laços esgotam-se,
desfiam-se;
vejo o mar,
olho o passado
e firmo as memórias
que em mim cabem.
Hoje, na pirueta das ondas,
no regresso das vagas
ao mar chão,
apenas sobra 

o desgaste,


a polução rota 
do esquecimento.

("Opta pelo silêncio,
haverá sempre quem 
se esquivará 
dos teus caminhos,
e nas esquinas falará
dos teus actos.
Que a tua cabeça seja hirta
como o Sol, 
nada te atormentará, então."
Fala de Titus, o historiador,
a seu discípulo Justinus)

(foto do autor obtida
com telemóvel)

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

derama


Veste um sorriso,
como quem veste uma flor.

Acautela-te do frio

que a tristeza traz.

Lembra-te,

a vida pode ser uma peça de teatro,

tu até podes nem ser actriz,

mas mesmo como técnica de luzes,

serás sempre necessária;

por isso,

não te esqueças 

de te cobrir com um sorriso

e de deixar o drama

com os teus colegas 

lá no palco.

domingo, 8 de novembro de 2015

partida

Partiste, mas não partiste: sempre foste uma espécie de pequeno paradoxo.
Não é, com certeza, um adeus mas um até já, meu querido.

(Recepção: Outubro/2010 - Doação ao Criador: 2/11/2015)