terça-feira, 19 de setembro de 2017

Alegria fortissima em modo vivace


Era total a minha inabilidade:
acercava-me, numa saciedade imprecisa da memória;
dizia: acerco-me,
mas o sorriso caía,
como uma praça forte que tombava
às mãos impolutas 
de quem a merecia.

Incapaz,
o sorriso esmorecido,
tentava lançar os frecheiros,
os lanceiros, 
os caldeirões de azeite fervente, até.

A conquista consumava-se, no entanto.
Os aríetes, 
as escadas,
os besteiros,
iam matando a minha alegria,
o meu sorriso desvanecia-se
como a morte esbofeteava
os soldados nas ameias e muralhas.

Transmutou-se, então, o meu sorriso:
de praça forte forte
a sitiada
e conquistada;
o valor do saque era riso,
fruto do orgulho nos meus campos
a perder de vista.

Ah! Se a minha alegria fosse uma palavra apenas!
(fonte da imagem:
http://pichost.me/1761943/)


1 comentário: